Esqueci o que é namorar

Vejo os casais andando de mãos dadas pela rua e acho tudo muito lindo. A vida parece perfeita quando se tem um par. A gente se sente segura com a falta de compromisso aos finais de semana, porque até mesmo assistir à TV aberta é gostoso quando se está na companhia do namorado. Não existe drama quando seus amigos desistem da ideia de sair por causa da chuva, afinal, ainda estará acompanhada do namorado. Pode não ser a mesma coisa, mas não estará sozinha. É a tal acomodação sensorial saudável.

Sei que namoros não são simples e envolvem muitos outros fatores que me fazem crer que me esqueci o que é namorar. Meu último relacionamento não foi um bom exemplo de namoro. Sei que namoramos, porque ele mudou o status de relacionamento no Facebook, mas nunca ouvi de sua boca “quer namorar comigo?” Simplesmente aconteceu, foi mágico e ao mesmo tempo trágico. Será que atualmente as redes sociais são o ponto forte de uma relação a ponto de você deixar as alianças de lado e ter que ceder a um perfil compartilhado com a data do início do namoro no nascimento?

Tenho uma participação alheia em alguns relacionamentos e visualizando tudo em terceira pessoa, eu acho que a interpessoalidade está acabando e dando lugar frios carinhos dos emoticons do WhatsApp. Não quero que esse Playmobil me abrace, quero você! E cadê? A linguagem escrita é basicamente o que o outro interpreta, onde está o tom de voz e o olhar? Talvez discussões ínfimas seriam dispensadas se fôssemos mais calorosos e compreensivos nos contatos.

Me esqueci o que é namorar quando faço questão da confiança recíproca e não tenho necessidade de me tornar um GPS para ficar recalculando a rota que ele desviou. Não sou patética, acredito nos meus instintos femininos, mas acho a desconfiança extrema muito desgastante. Não acho que colocar a pessoa amada numa cúpula de adoração seja agradável, no máximo vou inseri-la em meu mundo bolha para ficar de nhénhénhé e “baby talk” que eu tanto julgo, mas admito fazer isso na fase de vislumbre da relação (#VergonhaAlheia).

Me esqueci o que é namorar quando percebo quão mecânico se tornam os “bom dias” e os “boa noites” dos namorados que têm a obrigação de ligar assim que abrem os olhos. Por mais romântica que eu seja, num dia de cólica provavelmente meu “bom dia” sairá dos meus lábios por educação. O sentimento está aqui, eu o sinto, mas o incômodo físico é maior, lamento. Com certeza, num relacionamento convencional, trocar meu futuro marido pelo Atroveran seria digno de drama e quiçá um término. Será que isso é amor?

Me esqueci o que é namorar quando tenho que provar meu amor. E qual seria a maior prova de amor se a compreensão, o respeito e a confiança não bastam?

Nunca soube o que é namorar.

Anúncios

2 comentários em “Esqueci o que é namorar

  1. Adorei seu texto. O finalzinho dele é perfeito, me ajudou a pensar a situação que eu vivo. É bom descobrir que não estou louco e que outras pessoas pensam parecido comigo.

  2. Razão pela qual, todas as pessoas que trago para próximo de mim, evito sms, chats de redes sociais e etc. Nada como estar presente olhar nos olhos, seja de uma namorada, seja de um amigo. Nossa atual situação faz com que as pessoas tenham medo umas das outras, poderia as redes sociais terem virado um estágio probatório? Acho que não me enquadro neste mundo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s