Medianeras

Medianeras

Contando sobre minha indiferença e facilidade em escolher estar ou não com alguém, me perguntaram se eu já amei e eu afirmei tal sentimento me referindo ao passado. Eu menti. Não sobre o amor, mas sobre a conjugação verbal.

Eu amo.

Na maioria das vezes, o amor da nossa vida se encontra num raio de 60km do nosso marco zero. Será? Neste exato momento estou deitada numa cama de casal, tendo como companhia um notebook, umas bagunças no lugar onde deveria ser seu, além dos meus neurônios queimando com a ideia de que em algum canto do universo existe um cara nas mesmas condições que eu, talvez escrevendo, talvez fumando ao lado de um amigo, talvez apenas dormindo pensando na desconhecida que está a uma distância indecifrável de si. Será que estou fisicamente distante, ou apenas nossos corações estão geograficamente fora de eixo?

De qualquer forma, platonicamente ainda te amo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s