A primogênita

Comemoração ao dia dos pais atrasado. O que vale é a intensão!
Ele sempre colocou ‘News of The World’ para ouvir e tomar cerveja comendo queijo na janela da sala. Eu tinha pavor daquela capa do disco.
Esses dias ouvi Chico Buarque com as minhas amigas. Eu sei cantar Chico, porque ele sempre pediu para que eu parasse o que estivesse fazendo para ver sua performance ao dublar.
Adoro Pink Floyd, mas saiba que antigamente eu morria de medo de todas as canções de ‘The Dark of the Moon’ e usava como fundo musical de histórias de terror para os meus amigos.
Acho que a minha tranquilidade lembra a sua tranquilidade. E acho que dentro de um DNA tranquilo guardava também uma dose de ironia que aprendi com você.
Eu sou o rascunho dos meus irmãos.
Aquela que tema fisionomia da mãe e a personalidade do pai.
Aquela que adora o carinho da mãe e o conforto do pai.
Aquela que acha graça na bronca da mãe e chora com o tal ‘estou decepcionado’ do pai.
Aquela que canta com a mãe as músicas que ouve com o pai.
Eu sou o teste.
Eu sou a cobaia.
Eu sou o exemplo.
Vulgo Heráclita, a primogênita.
Anúncios

4 comentários em “A primogênita

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s