Como Chegar Até as Nuvens Com os Pés no Chão?

Eu quero um namorado. Na verdade eu não quero qualquer namorado. Eu quero o namorado. Eu quero um homem culto, que seja mais velho e, independente da idade, eu quero que ele tenha a cabeça no lugar e um objetivo. Eu quero um namorado que entenda um pouco de tudo e não tudo de pouco. Eu quero que ele saiba discutir sobre política, história, filosofia, cartografias, economia. Eu quero que ele também tenha lá seus assuntos futibolísticos. Eu quero que ele tenha o português perfeito, que saiba conjugar inclusive o pretérito mais que perfeito. Eu também quero que ele saiba um pouco de italiano, não faço conta se ele não souber o english advanced, mas que pelo menos diga um simples “eu te amo” em italiano, eu ficaria muito feliz. Eu quero que ele use roupas ecléticas e fique bem em todas, só não gosto de calças muito largas, quero que ele use camisetas listradas, ou aquelas velhas monocromáticas mesmo, cores quentes, cores frias, tanto faz, e uma calça jeans. Não me impressionaria se ele aparecesse de terno com um design diferente, ele vai se casar assim, sem contar que não deixa de ser chique. Eu quero um namorado que não me veja muito, mas me ligue algumas vezes na semana para saber como eu estou e que duas vezes ao ano ele me dê uma rosa vermelha para comemorar um dia comum. Eu quero um namorado que me diga coisas bonitas e me surpreenda a cada encontro, mas sem muita formalidade. Eu quero que ele converse comigo, não quero ter lembrança só dos beijos e dos filmes que assistimos juntos, quero ter história e experiência para contar aos meus filhos, netos, bisnetos… Eu quero que ele saiba aproveitar uma balada, não quero que ele num canto sozinho comigo, quero que ele seja sociável, dance como um louco lá no meio com todo mundo junto comigo. Eu também quero que ele saiba se portar numa reunião formal e se tiver jantar, que ele saibaque o guardanapo fica no colo, que os talheres são usados de fora para dentro e que só se toma vinho branco com carne branca. Eu quero que ele me leve para viajar em lugares frios, de preferência no verão. Eu quero um namorado que entenda todo o universo feminino para daí poder entender o que passa na minha mente. Eu quero que ele seja sensível e ao mesmo tempo racional, que acredite em Deus e ao mesmo tempo no antropocentrismo, que seja um pouco tímido e ao mesmo tempo sociável. Eu quero que quando ele fique irritado não abaixe o nível nos xingamentos e nem se altere tanto a não ser uma imposição da voz na palavra de mais efeito, como: “IMBECIL!”, mas só o fato de ele dizer palavras que me deixe sem ação e faça um Grand Finale com um olhar assassino, já me deixaria satisfeita, triste, mas bastante satisfeita. Eu quero um namorado que saiba tocar violão, guitarra, baixo, bateria, um pouco de piano, que entenda um pouco sobre flautas estranhas e violoncelo. Eu quero que ele ainda tenha uns LP’s antigos e que os ouça. Eu quero que ele goste de rock, principalmente os de antigamente, mas que me apresente novas bandas independentes com nomes esquisitos. Eu quero que ele também saiba apreciar uma boa MPB. Eu quero que ele admire bons teatros e me leve num Épico da antiguidade clássica. Eu quero um namorado que saiba cozinhar. Eu quero que ele me console passando a mão no meu cabelo e só me pergunte o que houve depois de algumas horas, quando ele vir que já estou bem. Eu quero um namorado que só pague minha conta se ele foi quem convidou, do contrário, quero dividir, por favor. Eu quero que ele tenha vários livros na estante e que tenha lido todos. Eu quero que ele chame atenção pela sua inteligência e com um ar intelectual. Eu quero que ele dê um sorriso de lado, uma risada sem graça e uma gargalhada gostosa, nem muito alta, nem muito retraída, mas que dê pra ouvir num alto e bom som. Eu não quero que ele ria das minhas piadas bobas só pra me agradar. Eu quero que as suas piadas sejam inteligentes e que faça trocadilhos bobos, mas que sejam ridículos aos leigos. Eu quero que ele me convide para comer um sanduíche no meu horário de almoço. Eu quero que ele se ache lindo, que agradeça os elogios e que seja otimista e paciente. Eu não quero que ele fale mal de suas ex-namoradas, não quero que ele só tenha lembranças ruins. Eu quero um namorado que não tenha vergonha de chorar, se lamentar, se arrepender, de abraçar. Eu quero que ele ame seus pais e que seja carinhoso com eles, por mais q ele me jure nunca mais falar com eles por qualquer bobagem. Eu não quero que ele seja perfeito, eu quero um namorado meio ciumento, que discorde piamente de certas coisas que eu diga, que me peça desculpa com atitudes e não com um mero: “desculpa” e que ele fique com raiva quando eu disser algo que não goste. Ele não precisa necessariamente ser meu esteriótipo desejado, só me basta o fato de ele apresentar esses requisitos naturalmente, porque eu não quero qualquer namorado.

Anúncios

6 comentários em “Como Chegar Até as Nuvens Com os Pés no Chão?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s